(41) 3045-8645
Av. Pres. Getúlio Vargas, 3620, Sala 601 - Curitiba (PR)

Blog

Por que investir em energia solar?

Depositphotos_3982405_original-min

Em 2016 a energia solar se tornou a forma mais barata de se gerar energia pela primeira vez na história. Esse foi um marco muito importante para a tecnologia e revela o que está por vir. Em muitos lugares, a energia solar já é uma realidade, mas segundo o Bloomberg New Energy Finance, até 2025 essa vai ser uma realidade em todo o mundo.

No ano passado, o Chile e os Emirados Árabes bateram um recorde no custo para gerar eletricidade através da luz solar, que chegou a ser 50% mais barato que o custo da energia a carvão, por exemplo.

Tudo isso comprova que hoje em dia, a energia solar está muito mais competitiva no mercado. Em 2016, quando o Brasil estava sofrendo uma de suas piores crises, o mercado de energia solar despontou, obtendo inclusive suas mais altas receitas.

Como funciona a energia solar?

0c794ce3262c576fc509fab9922e42be-minPrimeiramente vamos esclarecer a diferença entre as duas formas de energia solar. O sistema heliotérmico utiliza o calor do sol para aquecer a água (bastante comum no Brasil). Já o sistema fotovoltaico, converte a luz do sol em energia elétrica através de painéis fotovoltaicos.

Nessa matéria, nós vamos focar na energia fotovoltaica, que é transformada diretamente em energia elétrica, sem passar pela fase de energia térmica.

As células fotovoltaicas são feitas de materiais semicondutores, como o silício. A partir do momento que a célula é exposta à luz solar, os elétrons absorvem os fótons (que são particulas de energia na luz solar). Os outros elétrons sao transportados pelo semicondutor até serem puxados por um campo elétrico (campo formado pela diferença de potencial elétrico entre os materiais semicondutores). Esses elétrons sao então levados para fora da célula solar e ficam disponíveis para serem usados como energia elétrica.

Vantagens

Existem inúmeras vantagens de se usar a energia solar. Essas vantagens estão relacionadas a diversos fatores como ao lado financeiro, à sustentabilidade, entre outros. Veja algumas delas:

  • Economia: com a instalação de um sistema de energia solar você consegue reduzir significamente os gastos com sua conta de luz, pagando apenas a taxa de disponibilidade.
  • Vida útil longa: os painéis solares geralmente duram cerca de 25 anos, e se bem cuidados, ainda podem estar gerando cerca de 80% de sua capacidade mesmo após esse tempo.
  • Fácil instalação: O sistema solar não interfere no sistema elétrico já existente no local e pode ser rapidamente instalado.
  • Valorização do imóvel: Qualquer local que contenha placas solares têm uma valorização imediata considerável, ainda mais agora que a tecnologia está em ascensão. Compradores estão dispostos a pagar mais por um imóvel com um sistema solar.
  • Baixa frequência e valor de manutenção: A manutenção de um sistema solar é muito simples e barata. Deve ser feita uma limpeza nos módulos a cada 6 meses e substituir algumas peças com vida útil mais curta a cada 5 a 10 anos.
  • Resistência: os módulos solares são muito resistentes, podendo resistir até ao granizo, pois eles possuem um vidro temperado que protege as células fotovoltaicas.
  • Proteção contra a inflação: Temos visto que muitos brasileiros sofrem com os aumentos constantes na conta de luz. Com um sistema solar, você fica praticamente blindado contra esses aumentos no setor energético. Inclusive, o seu retorno será ainda maior com os altos custos.
  • Sustentabilidade: A energia solar é totalmente limpa, não causa impacto ao meio ambiente, não emite ruídos, resíduos ou gases poluentes.

Importância da energia solar

Muitos se perguntam por que a energia solar é tão importante. Cada vez mais estamos aprendendo a aproveitar esse recurso tão importante que temos em abundância, para substituir as fontes tradicionais de energia. Como mencionamos anteriormente, os dados comprovam que a energia solar não é mais a energia do futuro e sim do presente. Ela vai se tornar cada vez mais barata com o passar dos anos, se espalhando assim por todo o planeta.

Aqui no Brasil, a Resolução 482/2012 permite que a geração compartilhada exista, possibilitando que diversas pessoas façam um consórcio e se unam para arcar com os custos, utilizando a energia através de uma micro ou minigeração distribuída entre os consorciados. A regulamentação também permite que a instalação seja feita em condomínios (com múltiplas unidades consumidoras), onde a energia pode ser repartida entre os condôminos.

“Se todo o potencial de geração de energia solar nas residências e comércios brasileiros fosse aproveitado com sistemas fotovoltaicos, o país produziria 283,5 milhões de MWh por ano, quantidade suficiente para abastecer mais de duas vezes o atual consumo doméstico de eletricidade no país, que hoje é de 124,8 milhões de MWh por ano”, diz um relatório do Greenpeace sobre o uso da energia solar.

A energia solar é também muito importante na preservação do meio ambiente, já que apresenta diversas vantagens comparada aos outros métodos de geração de energia. Da mesma maneira que plantas e animais utilizam a luz do sol para produzir nutrientes, nós, seres humanos também utilizamos o sol para produzir vitamina D. Agora estamos indo ainda mais longe e convertendo a energia solar em energia utilizável.  Trata-se de uma fonte de energia totalmente limpa, não polui, não interfere no efeito estufa, não necessita de turbinas ou geradores, não gera ruídos, não cria uma ameaça ao ecossistema, entre outros.

O mais importante de tudo é entender que os combustíveis fósseis (gás, petróleo, entre outros), não são formas de energia renovável, pois quando acabam, não podem ser repostos. Além disso, os combustíveis fósseis criam uma enorme poluição ao meio ambiente, que afeta o ar, a água, e os alimentos que ingerimos. Eles sao caros para recuperar da terra e caro para usar. Em compensação, as fontes de energia sustentáveis sao mais baratas e fáceis de produzir. A energia solar nos ajudará a ter um mundo mais limpo e saudável, permitindo que a tecnologia e a natureza existam simultaneamente e pacificamente.

Economia

Apesar de se tratarem de números relativos, pois existem muitas variáveis envolvidas, geralmente a economia que a energia solar pode gerar varia entre 50% e 95%. Após cerca de 5 a 8 anos, o seu investimento total será pago por completo e dali pra frente terá 100% de lucro.

Outro dado interessante é sobre o sistema de crédito. Se você produz mais energia do que consome, esse adicional vai para a rede. Porém, o que você não consumiu, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica você pode abater em contas de outras residências ou comércios com o mesmo CNPJ ou CPF.

Como comentamos anteriormente, o especialista Luís guilherme Campos de Oliveira afirma: “Uma pesquisa feita nos Estados Unidos revelou ainda que existe valorização de mais de 10% de imóveis que têm energia solar e esses imóveis são vendidos 30% mais rápido.”

Como Curitiba está usando essa tecnologia

Para se ter uma ideia, dados da Resenha Energética Brasileira de 2016 mostram que as fontes renováveis representam aproximadamente 41% da base de energia no Brasil (o que incluem as fontes eólica, hidrelétrica, etanol, biodiesel, etc). Nos países mais desenvolvidos essa média cai para 9,4%. Isso comprova que o Brasil tem um grande potencial para explorar melhor essas fontes renováveis e possui uma grande vantagem em relação à outros países. Porém, apesar do grande potencial, o índice de adesão no Brasil ainda é muito baixo em relação aos países europeus e asiáticos.

De acordo com o engenheiro e professor da UTFPR, Gerson Tiepolo, o estado do Paraná tem mais potencial do que a Alemanha inteira, que é um dos países líderes no mercado global. Muitos pensam que por Curitiba ser uma cidade fria, Depositphotos_43165659_original-minbastante nublada e chuvosa, não tem um bom potencial para a energia solar. Porém, como o professor afirma, o potencial de curitiba é 48% maior do que da Alemanha.

Muitos pensam erroneamente também que o litoral é melhor do que a capital para produzir energia solar, porém no litoral o índice de irradiação é menor por causa da Serra do Mar.

Muitas pessoas pensam também que a geração de energia fotovoltaica está relacionada com o calor, mas segundo o engenheiro Janio Gabriel, ao contrário do que as pessoas pensam, o efeito é melhor em dias mais frios (coisa que é comum em Curitiba).

Pesquisadores da UTFPR mostram que entre 2015 e 2016, os números relacionados à geração de energia solar no Paraná aumentaram em 600%, levando o estado ao 5º lugar no número de sistema fotovoltaicos instalados.

Energia solar em escritórios

Atualmente, a sustentabilidade tem se tornado um grande diferencial para empresas. As organizações que utilizam a energia solar já são mais valorizadas no mercado. Apesar de precisar de um investimento inicial para adquirir e instalar os equipamentos de um sistema solar, o retorno que as empresas têm através da utilização dessa fonte de energia é significativo, conseguindo diminuir bastante os gastos mensais com energia elétrica. Dessa forma, elas conseguem se blindar contra os reajustes tarifários das concessionárias. A vida longa do sistema e a pouca manutenção, proporcionam uma vantagem financeira ainda maior, já que após o custo inicial ser completamente pago, o restante é puro lucro.

Muitas empresas já estão usando a energia solar para gerar sua própria energia, contribuindo assim para um mundo mais sustentável. São diversos os locais comerciais que podem usar essa tecnologia, como por exemplo: lojas, consultórios, escritórios, hotéis, entre outros. Entre os benefícios estão: economia imediata, valorização do imóvel, rápida instalação, e blindagem contra reajustes na conta de luz.

Os edifícios acabam sendo os maiores consumidores de energia e através da energia solar, porém ser os maiores beneficiados também.

Apesar de grande parte do uso de energia solar no Brasil ser de iniciativa privada, o governo está trazendo diversos incentivos para que haja uma expansão no Brasil. Podemos citar por exemplo, uma taxação menor para esse setor.

A distribuição de energia por classe de consumo ainda é maior para uso residencial, com 79%, porém o comercial vem logo em seguida com 15% (gráfico abaixo).

Distribuição Por Classe de Consumo

VM Business usa energia solar

A JHF também se preocupa em proteger o meio ambiente, como por exemplo, no novo empreendimento da Incorporadora de salas comerciais em Curitiba, o VM Business. Itens e espaços com conceito de sustentabilidade permeiam o empreendimento. Do Deck decorado, com área verde e espaço zen – perfeito para relaxar -, até um projeto de paisagismo ecológico, com plantas nativas. No estacionamento, tomadas para bicicletas e estrutura para futura instalação de carregador de carros elétricos. E mais: Coleta seletiva de lixo, reuso da água da chuva e de ar condicionado, sistema de descarga Dual Flush, iluminação de áreas comuns com sensor de presença. Aqui até a sustentabilidade tem padrão de excelência. Além das placas solares que serão instaladas para iluminação das áreas comuns, gerando redução no custo de energia elétrica do condomínio.

O VM Business está localizado na Av. Vicente Machado, com uma vista privilegiada da cidade.

Compartilhe Conhecimento:
Share with friends   

Written by

The author did not add any Information to his profile yet